35.8 C
Brasil
segunda-feira, setembro 25, 2023

Suspeito de matar jovem na Rocinha ligou para a mãe da vítima: ‘Vai buscar tua filha que ela tá morta’, diz avó

Brasil

Família acusa o namorado pelo crime. O corpo de Jenifer Carvalho Paes, 19 anos, foi enterrado na terça-feira (29). Polícia instaurou inquérito e faz diligências para localizar o autor dos disparos.

A morte de Jenifer Carvalho Paes, de 19 anos, que foi encontrada morta com um tiro no peito na segunda-feira (28) na Rocinha, teve um outro elemento de crueldade. Segundo a avó da jovem, Thania Leandro Paes, o namorado de Jenifer – principal suspeito do crime -, teria ligado para a mãe da moça e dito: “Vai buscar tua filha que ela tá morta”.

A polícia investiga se Jenifer foi vítima de feminicídio. A família diz não ter dúvidas.

“Ela era uma menina bonita, trabalhadora, estudiosa. Eu criei ela até os 12 anos. Ele [namorado] espancava ela, batia nela, mas a gente não sabia de nada! A última vez que ela falou com o pai foi para pedir dinheiro dizendo que estava passando fome”, conta a avó Thania.

A avó da jovem também contou que foram ela, o pai de Jenifer e o irmão dela que encontraram o corpo na cama.

“Ela apanhou muito antes de morrer”, disse.

Cárcere privado e surra
Thania contou ainda que a neta vivia em cárcere privado, e que só soube da situação da neta depois do contado de uma amiga dela, que desconfiou do sumiço de Jenifer.

“Ele deixava ela trancada, mantinha em cárcere privado, sem celular, sem uma televisão, sem geladeira, sem contato. Ele deixava ela com fome. Ela anotava tudo que ela passava em um caderno, era só isso que ela tinha. Foi a amiga dela que ajudou a gente a encontrar onde estava o corpo, ela que achou. Ela não tinha a liberdade de conversar com ninguém. Uma vez ela contou para o pai que ele [namorado] tinha batido nela, e ela estava com a cabeça machucada. Todos dissemos que ela podia voltar para a nossa casa, ficar com a gente”, contou a avó no enterro da neta.

Suspeito tentou culpar a vítima
Ainda segundo Thania Paes, o suspeito tentou culpar a própria vítima por sua morte, dizendo que ela teria se matado. Mas a hipótese foi descartada pelo IML, que encontrou pele embaixo da unha da jovem, indicando que ela esteve em luta corporal.

“É uma dor muito grande que estou sentindo. Nós amamos muito ela, eu criei, ajudei muito a minha filha a cuidar dela. Eu nem sei mais o que estou sentindo. Só queria justiça. Ele ainda tentou botar culpa nela dizendo que ela se matou, mas foi ele que matou! Ele já batia nela! Ele falou que ela se matou! Estava cheia de pele debaixo da unha dela porque ela tentou se defender dele enquanto ele batia nela”, disse a avó.

O caso
Jenifer Carvalho Paes, de 19 anos, foi foi encontrada morta após uma amiga desconfiar do seu sumiço e mandar mensagem para os pais dela. A jovem foi sepultada no Cemitério de Inhaúma na tarde desta terça-feira (29).

Durante a cerimônia, os parentes estavam inconsoláveis. Eles apontam o namorado de Jenifer como o principal suspeito do crime. O casal morava junto na Rocinha, na Zona Sul do Rio. Segundo a família da jovem, o relacionamento deles tinha cerca de 10 meses e era marcado por ciúmes.

“Eu criei ela com muito amor e carinho, sabe? Ela sempre foi minha amiga. Ela tinha o sonho de ter a casa dela, ela era muito linda. Foi muita covardia”, disse a avó Thania Paes.
Jenifer tinha terminado a relação recentemente, mas por insistência aceitou voltar para o namorado. Os familiares acreditam que ele tenha cometido o crime durante uma nova briga por ciúmes. O namorado não foi localizado pelos familiares.

Procurada, a Polícia Civil informou que a 11ª DP (Rocinha) foi acionada para remover o corpo do local e realizar a perícia na comunidade. Um inquérito foi instaurado e diligências estão em andamento para apurar a autoria do crime.

 

- Advertisement -
- Advertisement -

Ultimas Notícias